10 setembro, 2008

Descoberta do Sucesso 2008: a PNL

Quando nos deparamos com questões como: Imagine o que faria, se pudesse controlar totalmente a sua vida? O que gosta mesmo de fazer? O que deseja realmente? verificamos que estamos a fazer uma auto-avaliação do que desejamos realmente fazer na nossa vida. Tive conhecimento destas questões, quando encontrei o site de PNL no qual define PNL como: "uma ciência de carácter prático nascida na América e em constante crescimento em todo o mundo que tem como fim o desenvolvimento pessoal, a optimização do desempenho e o preenchimento significativo da vida."
Uma frase muito boa que aparece no site é:
"a excelência, em qualquer aspecto da vida, pode ser alcançada por todos nós." Assim, desde que façamos aquilo que mais gostamos de fazer, de certeza que vamos alcançar a excelência, pois "somos tudo o que pensamos e fazemos" e existe ainda uma "lei americana" que nos diz que se fizermos algo todos os dias no mínimo 3 horas por dia, durante 10 anos, iremos ser muito bons a fazer isso...
Mas voltando à noção do que é a PNL, "a pergunta básica dos fundadores da PNL era: "Qual é a diferença entre os que têm êxito e os que não têm?"."
O artigo define ainda a nomenclatura de PNL: "O
P de Programação, termo do mundo dos computadores, refere-se aos programas mentais que consciente e inconscientemente nós mesmos criamos e que são responsáveis pela maneira como agimos. N, abreviatura para Neuro quer dizer que tudo o que nós pensamos, sentimos e fazemos é um produto do que acontece no nosso sistema nervoso. L, refere-se à Linguagem verbal e não verbal, ao código e dá sentido às nossas sensações neurológicas e à expressão. A maneira de como agimos está directamente dependente dos nossos programas." As boas notícias: os nossos programas mentais são transformáveis!
Desta forma, dependemos de nós para nos desenvolver pessoalmente, optimizar o nosso desempenho e preencher significativamente a nossa vida.
Basta "programar" a nossa forma de pensar, fazer e comunicar.
Um dos primeiros passos a dar para ficarmos a saber o que realmente queremos é identificar aquilo que não queremos realmente. Assim, pela "oposição" podemos identificar o que "realmente queremos".
Como aprendi no livro "A Lei da Atracção", de Michael Losier, redigi a minha "afirmação de desejo" sobre a minha situação ideal:
"Estou em vias de atrair tudo aquilo que preciso de fazer, saber ou ter para atrair a minha situação ideal.
É fantástico saber que a minha situação ideal me permite ter e usufruir tudo o que preciso e desejo para proporcionar mais alegria e liberdade à minha vida.
Estou cada vez mais entusiasmado com a ideia de abundância em meu redor e poder ajudar a minha familia, com rendimentos de fontes conhecidas e desconhecidas.
Adoro a ideia de que o que faço (treinador, professor e consultor) me permite alcançar a situação ideal procurando lideres que exercem controlo sobre a sua vida ou estão interessados em controlar totalmente a sua vida e que possuem capacidades de aprendizagem.
Sinto-me muito bem quando contacto pessoas que exercem controlo sobre a sua vida ou que estejam interessadas em controlar a sua vida.
Estou muito entusiasmado com a ideia de dispor de uma estabilidade financeira.
Adoro saber que o meu ideal financeiro me permite oferecer (objectos concretos) à minha família/necessitados.
A Lei da Atracção está a exercer a sua influência e a orquestrar tudo o que tem de acontecer para que o meu desejo se realize."
No próximo post, irei falar do que me aconteceu depois de realizar este pedido, à Lei da Atracção.

2 comentários:

Nil disse...

Olá Voce realmente sabe como introduzir seu trabalho. Mais uma lição.Adorei sua página (conheci atraves do Publipt)e ja me registrei em todos os sites que voce indicou e registrei-me,pois tambem procuro uma saída...Tambem ja havia lido O Segredo e outros livros que ensinaram-me muito apesar de ainda nao ter me encontrado.Desejo-lhe toda sorte do mundo!
Aguardo sua visita tbm
Meus blogs são:
www.nilsegantini.wordpress.com
www.nilmatos.wordpress.com
www.divaskey.blogspot.com

Miguel Ángel disse...

Hola:
Totalmente de acuerdo. Es importante no solo desear, sino querer algo. El deseo es casi romántico, el querer es más real y consecuentemente más "exigente" con uno mismo..